was successfully added to your cart.

Goias Res Solar

Em um sábado de festa (24/6), Pirenópolis, a 120 quilômetros de Goiânia, recebeu o primeiro residencial de interesse social do Estado e o primeiro unifamiliar do Brasil com sistemas de geração de energia fotovoltaica, ligados à rede da Celg, podendo gerar economia de até 70% na conta de luz das famílias. Com 149 moradias, o Residencial Luciano Peixoto, que leva o nome em homenagem ao pai da primeira-dama do Estado, Valéria Perillo, também entra para a história da habitação de interesse social pelo pioneirismo da Agência Goiana de Habitação (Agehab) na execução da política habitacional do Estado, que desde 2011 investe em programas e projetos inovadores, como o Casa Solar. Na primeira etapa do programa, a Agehab está dotando 1,2 moradias com sistemas fotovoltaicos em quatro municípios: Pirenópolis, Alto Paraíso, Palmeiras e Caçu.

Na solenidade de entrega das moradias às famílias, o governador Marconi Perillo anunciou que o Estado asfaltará o novo bairro e que a licitação da obra já está sendo providenciada. “A responsabilidade pelo asfalto é do município, mas já temos a autorização da Prefeitura para realizar a obra”, salientou o governador.  O presidente da Agehab, Luiz Stival, ressaltou o pioneirismo de Goiás com a iniciativa, aliando sustentabilidade e inclusão social. “São moradias de qualidade, dotadas com o que existe de mais moderno em termos de eficiência energética. E o mais importante, fonte limpa de energia que ajuda a preservar o meio ambiente e gera economia para as famílias”, frisou Stival.

O secretário Vilmar Rocha (Secima) também destacou o esforço do Governo de Goiás com investimentos em fontes alternativas de geração de energia para promover o desenvolvimento econômico e social do Estado, com o programa Goiás Solar. Presente na solenidade, o presidente da Associação Brasileira de Energia Solar, Rodrigo Lopes Sauaia, destacou que Goiás está na vanguarda: “O que acontece aqui hoje em Pirenópolis é uma momento histórico para Goiás e o Brasil”.

A primeira beneficiária a receber o autorizo de mudança e as chaves das mãos do governador Marconi Perillo foi Cássia Cordeiro da Silva, representando a filha Priscila da  Silva Bontempo, costureira, mãe de dois filhos, que mora de aluguel. “Essa casa representa vida nova para a família de minha filha. É um sonho que estamos vivendo”, contou Cássia. Já a monitora escolar Maria Eleusa Coelho,  50 anos, que ganhou pouco mais de R$ 1 mil, recebeu a visita do governador Marconi Perillo em sua residência. Ela vai morar na casa nova com o filho de 20 anos, Eduardo Abreu, que é estudante de Farmácia. “Essa casa é a primeira da minha vida e a segurança de um futuro melhor para o meu filho. Também terei uma boa economia com a conta de luz. Isso vai me ajudar muito, com certeza. É uma bênção, não sei nem o que dizer. Só que estou muito feliz”, disse Eleusa, que sonha agora com a construção do muro para aumentar a segurança da família e em plantar uma muda de amoreira que ganhou da Agehab.

A fiscal de caixa Wezilany da Cunha Freitas Caetano, 26 anos, casada com Julimar Ribeiro Caetano, e com um filho de oito anos, já estava com a mudança toda encaixotada só esperando assinar o autorizo de mudança e receber as chaves da Agehab. Acompanhada do pai Luiz Henrique de Freitas Caetano, ela contou que estava morando de favor na casa da sogra. “Agora vou para a minha casa, que está no meu nome. Só penso agora em aumentar a casa, crescer e trabalhar bastante para melhorar a vida da minha família. A primeira coisa que pretendo fazer aqui é murar, para aumentar nossa segurança e privacidade”, disse. Ela pagará prestação inicial de R$ 97,00. “A prestação cabe na nossa renda. É um alívio morarmos no que é nosso”, complementou.

Outra beneficiária que também estava morando de favor, na casa da mãe, é Ana Maria de Oliveira, 52 anos, divorciada, quatro filhos e um neto. “Glória a Deus. Esta é uma casa abençoada. Vou morar aqui com três filhos e um neto. Penso em plantar árvores no quintal. É uma alegria muito grande que estou sentindo, nem consigo acreditar ainda”, disse Ana Maria ao entrar pela primeira vez em sua casa, segurando pelas mãos o neto Guilherme.

Já a beneficiária Diana Maria Pereira, 40 anos, do lar, casada com o servente de pedreiro Valdemir Raimundo Veiga, 42 anos, dois filhos, foi contemplada com a casa ecológica modelo, adaptada para a filha Maria Eduarda, 15 anos, cadeirante. “Pagamos R$ 750,00 de aluguel, que consome quase toda nossa renda. Agora vou pagar uma prestação de R$ 135,00. Isso vai melhorar demais a nossa vida. O serviço do meu marido é incerto. É o dia mais feliz da minha vida”, relatou Diana.

Inovação e inclusão social

Construído pela Agehab em parceria com o governo federal, o Residencial Luciano Peixoto recebeu investimentos da ordem de R$ 8 milhões, dos quais mais de R$ 3,5 milhões em Cheque Mais Moradia, do Governo de Goiás. A parte de energia fotovoltaica foi integralmente custeada pelo Cheque Mais Moradia, modalidade Melhoria, no valor de R$ 3 mil por unidade habitacional. Com a iniciativa da Agehab de implantar sistemas de energia fotovoltaica nas moradias destinadas à famílias com renda de até três salários mínimos, o Governo de Goiás destaca-se mais uma vez com projetos inovadores na execução de sua política habitacional. O residencial de Pirenópolis também é o primeiro do programa Minha Casa Minha Vida – parceiro da Agehab na construção das moradias – com essa tecnologia que assegura eficiência energética e preservação ambiental.

Segundo o presidente da Agehab, Luiz Stival, os programas executados pelo Governo de Goiás na área de habitação desde 2011 têm a marca da modernidade, eficiência e inclusão social. Ao longo dos últimos sete anos a Agehab conquistou mais de uma dezena de prêmios nacionais e reconhecimento internacional com programas inovadores e inclusivos. “Esses programas são hoje referência para o País. A experiência de Goiás tem sido buscada por companhias habitacionais de vários Estados e municípios brasileiros. Somos ouvidos em todos os fóruns representativos da área de habitação de interesse social. Isso porque temos um governador muito empenhado em promover o acesso das famílias que mais precisam à moradia de qualidade, direito fundamental do cidadão”, salientou Stival. Outro fator importante é que a Agehab está ajudando a popularizar a tecnologia, demonstrando que é possível colocá-la ao alcance da população de baixa renda.

Com o projeto Casa Solar, a Agehab alia sustentabilidade dos empreendimentos habitacionais – com adoção de fontes limpas e renováveis de energia – e inclusão social – com criação de oportunidades de geração de emprego e renda para as famílias. É o que já está acontecendo com a implantação dos projetos-pilotos em Pirenópolis e Alto Paraíso.

A Agehab promoveu, durante o processo de instalação das placas fotovoltaicas, qualificação dos beneficiários para atuar com a manutenção dos sistemas. “Foram realizados cursos aos beneficiários interessados em atuar nesse novo ramo que tem crescido muito no País. Criamos oportunidades de geração de emprego e renda para as famílias, que poderão cuidar da manutenção dos sistemas de sua própria casa e dos vizinhos, além de vislumbrar uma nova profissão”, ressaltou Luiz Stival.

A união entre o sonho de realização da casa própria e o crescimento profissional também é enaltecida pelo pintor de paredes Vanderly Moreira dos Santos, 36 anos, que passou pelo curso oferecido pela Agehab em Alto Paraíso. “O curso foi excelente, com um instrutor muito bom”, observou, antes de completar: “Sem contar que aprendi na minha casa própria casa e dos meus vizinhos”. Em Pirenópolis, o governador Marconi Perillo entregou diploma de qualificação profissional para um dos beneficiários formados no curso de instalação e manutenção de placas fotovoltaicas oferecido pela Agehab aos moradores do empreendimento.

Fonte: SECIMA

Deixe um comentário