was successfully added to your cart.

Category Archives: Sem categoria

Ceará

Estado do Ceará vai zerar ICMS para energia renovável

Por | Sem categoria | Sem comentários

Mais um estado brasileiro aderiu ao incentivo em energias limpas.  Uma grande conquista para a economia e para o Brasil atingir a meta de redução da emissão de carbono.

Governo  do Estado do Ceará deve desonerar Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços incidente sobre a importação de máquinas e equipamentos a partir do próximo mês de setembro, de acordo com projeção da SDE.

Parabéns Ceará!

Leia a reportagem completa no Diário do Nordeste

 

 

paisagem-bandeira-do-brasil

Brasil tem todas as condições para ser referência mundial em energias renováveis, afirmam especialistas

Por | Sem categoria | Sem comentários

Em seminário no MCTIC, especialistas alertam que o uso das energias renováveis é uma oportunidade econômica. “As fontes renováveis já geram por volta de 10 milhões de empregos de qualidade no mundo. Esse é um potencial que nosso país precisa aproveitar”, ressaltam.

MCTIC

O secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Alvaro Prata, durante o seminário “O Mundo, o Brasil e as energias renováveis: eólica e solar”, realizado em Brasília.

Crédito: Ascom/ MCTIC

O Brasil é incrível no aspecto energético, e devemos caminhar para a nossa sustentabilidade. A afirmação foi feita pelo secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Alvaro Prata, durante o seminário “O Mundo, o Brasil e as energias renováveis: eólica e solar”, realizado nesta quinta-feira (27), em Brasília. A declaração do secretário foi reforçada pelos palestrantes durante o evento. De acordo com dados apresentados por eles, o Brasil é hoje a 9ª economia mundial em capacidade de geração de energia eólica.

“Ultrapassamos a Itália no ano passado. Somos o quinto país que mais investiu em energia eólica no ano passado, cerca de R$ 18 bilhões. O Brasil tem o melhor vento do mundo para produção de energia eólica, segundo especialistas do setor”, afirmou a presidente-executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Elbia Gannoum.

Ela acrescentou que a capacidade do país “é altíssima” e acima da média mundial. “O Brasil figura como o terceiro país mais atrativo em investimentos no setor de fontes renováveis, sendo a eólica a principal protagonista. Hoje, o país tem 11,6 gigawatts de capacidade instalada. Somos uma usina de Belo Monte em capacidade e em geração de energia. A diferença é que essa usina está espalhada pelo Nordeste brasileiro e demais regiões do país”, disse.

Bons ventos e muito sol

Segundo Gannoum, a média de aproveitamento da matriz eólica em países desenvolvidos fica em torno de 23%, enquanto, no Brasil, é de 38%. “Mas também chegamos à situação excepcional muito acima dessa média”, afirmou o secretário Prata, referindo-se à capacidade eólica de estados brasileiros, como o Piauí. “Lá, o aproveitamento da energia eólica é de 70%, ou seja, a perda é de apenas 30%. Na Europa, a eficiência do aproveitamento fica em torno dos 30%. É muito difícil conseguir aproveitar porcentagem tão alta de uma energia que vem para nós de graça. O vento está aí.”

O vento e o sol. De graça ou quase de graça. O presidente-executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Lopes Sauaia, apresentou dados que comprovam a redução dos valores cobrados pela comercialização da energia solar fotovoltaica em alguns países, que podem chegar a US$ 30 o megawatt/hora. “Isso é mais barato que o carvão mineral, considerado custo mais baixo do mundo. Especialistas apontam que essa fonte será, a partir de 2030, uma das mais baratas para geração de energia elétrica do planeta e vai ser tornar fonte do nosso cotidiano”, explicou.

Segundo ele, o uso das energias renováveis é uma oportunidade econômica. “As fontes renováveis já geram por volta de 10 milhões de empregos de qualidade no mundo. A energia solar sozinha é responsável por mais de 3 milhões de empregos no planeta. Esse é um potencial que nosso país precisa aproveitar. São empregos de qualidade, majoritariamente, de nível técnico e superior com salários acima da média nacional. O volume de empregos gerados pela fonte fotovoltaica é significativo: na faixa de 25 a 30 empregos diretos por megawatts instalado, o que faz dessa fonte uma locomotiva da geração de empregos”, observou.

Na Alemanha, de acordo com Sauaia, já são mais de 300 mil empregos no setor. “É uma decisão econômica do Brasil. Existe uma grande oportunidade de grande prazo e o país tem todas as condições de se tornar referência mundial”, acrescentou. No setor eólico não é diferente, a cada ano são gerados no país cerca de 40 mil postos de trabalho. No ano passado, a energia eólica cresceu 46% e colocou milhares de pessoas no setor produtivo gerando renda.”

Nesse sentido, a diretora de projeto da Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ, na sigla em inglês), Tina Ziegler, defendeu que o país valorize o setor, observando as condições naturais privilegiadas do território nacional. “O Brasil tem uma radiação muito boa para energia solar, é muito privilegiado. Diversificar a matriz energética brasileira pode gerar muitos empregos e renda para o país”.

O secretário Prata está de acordo. “Mais e mais temos que fazer uso intensivo e inteligente da energia solar e das nossas fontes renováveis. Temos essas matrizes com muita abundância. Caminhemos para a sustentabilidade”.

Fonte: MCTI.gov.br

complexo_solar_pirapora_2

BNDES aprova primeiro financiamento para geração de energia solar

Por | Sem categoria | Sem comentários

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 529,039 milhões para implantação do Complexo Solar Pirapora, em Minas Gerais, com cinco usinas fotovoltaicas e potência instalada total de 150 megawatts (MW) e potência fotovoltaica instalada de 191 megawatts picos (MWp). O empreendimento é da EDF Energies Nouvelles, filial do grupo estatal francês Électricité de France S.A. – EDF e da Canadian Solar – CSI, fabricante de módulos solares instalada no Brasil e que fornecerá equipamentos ao projeto.

O Complexo Solar Pirapora é o primeiro projeto de geração de energia solar financiado pelo BNDES. Segundo a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, em conformidade com seu papel de indutor do desenvolvimento econômico, em especial de projetos com externalidades positivas – no caso a ambiental – o Banco destina as melhores condições de crédito a projetos de energias renováveis.

O Brasil dispõe de amplo espaço territorial e intensidade de irradiação solar superior a diversos países que criam potencial expressivo para a geração solar. Como o setor está em estágio inicial de difusão tecnológica, precisa incorporar avanços em redução de custos e preços, bem como em ganhos de rendimento. Para isso, os instrumentos de promoção da demanda foram relevantes para mobilizar a inserção da fonte no país, seja por meio da geração distribuída, seja por meio da geração centralizada, que está sendo contratada em leilões públicos. Neste sentido, o suporte do Banco é fundamental para o setor.

O empreendimento será formado por cinco Usinas Fotovoltaicas (UFVs) – Pirapora V, VI, VII, IX e X – com potência instalada de 30 MW cada uma e sistema de transmissão associado. O projeto ampliará a oferta de energia elétrica por meio de uma fonte renovável, permitindo atender a demanda equivalente a 189.842 residências. A construção das instalações vai gerar 1.381 empregos diretos e indiretos.

Condições de crédito – A participação do BNDES no investimento do Complexo Solar Pirapora será de R$ 529 milhões com funding integralmente em TJLP. Considerando o montante previsto de emissão de debêntures incentivadas de infraestrutura, no valor de até R$ 220 milhões, a alavancagem total do projeto alcançará 79,6% do total dos investimentos previstos.

No financiamento aprovado pelo Banco está incluído o subcrédito, no montante de R$ 2,6 milhões, destinado a investimentos sociais no âmbito da comunidade em projetos diversos daqueles previstos no licenciamento ambiental.

Energia de Reserva – A energia do Complexo Solar de Pirapora foi comercializada no Ambiente de Contratação Regulado (ACR) durante o 7° Leilão para Contratação de Energia de Reserva realizado em 28 de agosto de 2015. Os Contratos de Energia de Reserva (CERs) celebrados com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) têm vigência de 20 anos, a partir de 1º de agosto de 2017, data prevista de entrada em operação comercial. As usinas comercializaram um total de 42 MW médios (8,4 MW médios cada), a uma tarifa média de R$ 298,58/MWh.

As obras do Complexo Solar Pirapora foram iniciadas em outubro de 2016 e tem previsão de entrada em operação em agosto 2017.

Equipamentos fabricados em São Paulo – O Complexo Solar Pirapora será localizado em uma área plana de 400 hectares próxima ao Rio São Francisco, no município de Pirapora, interior do estado de Minas Gerais.

Para a EDF Energies Nouvelles a aprovação do financiamento pelo BNDES do primeiro projeto fotovoltaico é um marco importante para o desenvolvimento da energia solar no Brasil. “Com a experiência e a expertise em energia solar de empresas como Canadian Solar e EDF Energies Nouvelles, e agora o apoio financeiro do BNDES, o projeto Pirapora vai se tornar um dos maiores projetos da América Latina. Estamos muito felizes em contribuir, através do projeto Pirapora, para o estabelecimento da indústria fotovoltaica no País e abrir caminho para outros projetos”, afirma Paulo Abranches, diretor da EDF EN do Brasil.

Sócia do empreendimento, a Canadian Solar, em parceria com a Flextronics, será a responsável pelo fornecimento dos painéis fotovoltaicos do Complexo Solar Pirapora. A Canadian Solar fornecerá ao todo 594.750 módulos, composto por 72 células cada, a partir de uma fábrica recém-inaugurada em Sorocaba (SP). As usinas compartilharão uma mesma subestação elevadora e uma linha de transmissão de 138 kV de 10,37 km, que ligará os parques até a subestação transmissora Pirapora.

Para a Canadian Solar, o financiamento do BNDES para o Projeto Pirapora demonstra o total apoio e comprometimento deste e do Governo Brasileiro no suporte às empresas com investimentos de longo prazo no desenvolvimento de projetos de infraestrutura em energia solar no Brasil.

Fonte: BNDES

semaforo

TROCA DE LÂMPADAS ECONOMIZA 90% DE ENERGIA NOS SEMÁFOROS

Por | Sem categoria | Sem comentários

Os 3.160 semáforos de todo o Distrito Federal, instalados pelo Departamento de Trânsito (Detran-DF), tiveram suas lâmpadas incandescentes substituídas por 7.160 LEDs (diodos emissores de luz). Isso resultou em uma economia de 92% no custo da energia elétrica consumida pelos equipamentos.

O consumo de energia elétrica dos 2.131 sinaleiros de veículos e dos 1.029 de pedestres custava ao Detran-DF em torno de R$ 385 mil por mês. Com o uso da nova tecnologia, o valor foi reduzido para apenas R$ 30 mil mensais.

A tecnologia LED é mais resistente, tem durabilidade aproximada de cinco anos e baixo consumo de energia. Além disso, proporciona melhor visibilidade, sem ofuscamento da visão, como acontece no caso da lâmpada incandescente.

Por ano, o gasto do órgão com energia nos semáforos era em torno de R$ 4,6 milhões. Agora, o valor estimado caiu para R$ 360 mil, o que significa uma economia anual de R$ 4,2 milhões.

A expectativa é que os LEDs diminuam também o valor da manutenção dos equipamentos, da ordem de R$ 724 mil por mês. Os gastos ocorrem principalmente na época das chuvas, quando 40% das lâmpadas comuns queimam e provocam transtornos nos cruzamentos de veículos.

Fonte: Agência Brasília

veiculo-eletrico

TODOS OS VEÍCULOS À GASOLINA VÃO DESAPARECER EM OITO ANOS, DIZ ESTUDO

Por | Sem categoria | Sem comentários

Ônibus, carros e caminhões que utilizam combustíveis fósseis serão extintos até 2025. A informação é de um estudo liderado por Tony Seba, economista da Universidade de Stanford dos Estados Unidos. A publicação diz que o mercado inteiro será substituído pelos mais eficientes carros elétricos e modelos autônomos sob demanda. Essa mudança faria despencar o preço do petróleo e poderia acabar com a indústria petrolífera mundial e prejudicar diversos países que dependem dessa commodity.

O relatório “Rethinking Transportatiom 2020-2030” (Repensando os Meios de Transporte, em tradução livre) destaca que os veículos elétricos são dez vezes mais baratos que os modelos com motor a combustão, possuem um custo de combustível quase nulo e uma duração de até 1,6 milhão de quilômetros.

Se a previsão do economista se comprovar, uma indústria trilionária terá que se adaptar ao novo momento ou poderá ser completamente extinta.

O relatório afirma que diversas cidades devem proibir que um humano dirija um carro pelo perigo que isso representa. Os preços de carros usados despencará e será cada vez mais difícil descartar um veículo a gasolina.

Países como Rússia, Nigéria, Venezuela e Arábia Saudita estarão em problemas. As grandes montadoras americanas e da Alemanha precisarão mudar o seu foco para o mercado de carros elétricos ou entrar definitivamente no mercado de serviços de mobilidade, como o Uber, segundo o Financial Post. Gigantes da tecnologia, como Google, Apple e Foxconn, estão na vanguarda desse movimento.

Seba afirma que essa grande mudança no mercado de combustíveis e automóveis é motivada, principalmente, pelos avanços tecnológicos e não por questões ambientais. “Nós estamos diante de uma das disrupções mais rápidas, profundas e de maior consequência da história do transporte”, disse o economista. “Veículos com motores de combustão interna entrarão em ciclo vicioso de aumento de custos”.

O relatório destaca que a mudança será mais radical quando os preços de carros elétricos se tornarem mais acessível e as baterias possuírem uma durabilidade maior.

Seba afirma que o custo por milha dos modelos elétricos será de 6,8 centavos americanos e que o valor do seguro cairá 90%. Os americanos economizarão até US$ 5,6 mil por ano e o governo dos Estados Unidos perderá US$ 50 bilhões por ano em impostos sobre petróleo.

“A curva de custos mostra que até 2025 todos os novos veículos será elétricos, todos os novos ônibus, carros, tratores, vans, qualquer coisa que se mova sobre rodas será elétrico no mundo”, disse Seba.

O economista compara a situação da indústria automotiva com a mudança de câmeras analógicas para digitais. “Não tem competição”, disse Seba. “O drive-train elétrico é muito mais poderoso. Os carros a gasolina e diesel não são capazes de competir”.

Fonte: Revista PEGN

Programador PHP

Você é programador PHP?

Por | Sem categoria | Sem comentários

Estamos contratando Programador WEB PHP com experiência comprovada,  capacidade de trabalhar em equipe, pró-ativo, dedicado e focado em resultado.

Envie currículo para atendimento@suntag.com.br

Local de Trabalho: Barra da Tijuca/RJ

Contratação: CLT

Salário: R$ 3000,00

Dia das Mãe

Minha mãe é meu Sol. A sua também.

Por | Sem categoria | Sem comentários

Ok, sabemos que dia de amar, respeitar e agradecer a nossa mãe é todos os dias, em qualquer hora, em todos os lugares. Mas na correria da vida, com muitos compromissos e afazeres, que bom ter um dia para parar e curtir essa pessoa que nos deu a vida. Sem ela, não estaríamos aqui. Sim, Mãe é começo de tudo, o centro de tudo, o suporte da vida.  Mãe é como o sol, que aquece, alimenta, fortalece e nos energiza.

Não deixemos esse dia passar em branco. Não deixe de dar um presente, uma lembrança, uma flor, um beijo, um abraço bem apertado, ou um telefonema. Mãe não quer o seu sacrifício, Mãe quer seu amor, seu bem e seu agradecimento.

Feliz dia das mães.

ENEL.

ENEL Distribuição Ceará lança projeto de microrrede inteligente de energia

Por | Sem categoria | Sem comentários

A Enel Distribuição Ceará lançou um laboratório do funcionamento de uma microrrede inteligente de energia, projeto pioneiro no país que está antecipando tecnologias inteligentes e transformando a relação de consumo de clientes residenciais. O laboratório, instalado na sede da companhia no Ceará, será utilizado como showroom das tecnologias empregadas no projeto piloto, o qual está sendo instalado em um condomínio residencial nas proximidades de Fortaleza.

No projeto, casas vão gerar energia solar e terão um sistema capaz de fornecer energia para os moradores, mesmo sem conexão com a rede elétrica da distribuidora. Além do potencial de apresentar novas soluções para o setor elétrico nacional, o projeto piloto está desenvolvendo formas de digitalizar os clientes da distribuidora, fazendo com que o cliente tenha uma postura mais ativa na gestão da energia elétrica.

Microrrede Inteligente

O projeto piloto vai beneficiar aproximadamente 300 casas de alto consumo (média de 780kWh/mês) de um condomínio residencial, localizado no município de Eusébio, a 27km da capital cearense, além de áreas de lazer, portaria e vias internas do empreendimento. O objetivo é transformar a estrutura elétrica interna do condomínio numa microrrede autônoma, capaz de funcionar conectada ou não à rede elétrica da distribuidora.

Quando está ligada à distribuidora, a microrrede armazena energia para que possa ser consumida em eventos de faltas ou para diminuir a demanda sobre o sistema que abastece a cidade. No caso de uma eventual falta de suprimento de energia pela rede da concessionária, a microrrede funciona no modo autônomo e é capaz, por exemplo, de manter o fornecimento de energia para cargas prioritárias (geladeiras, equipamentos de segurança, iluminação etc) durante pelo menos uma hora.

A microrrede utiliza fontes renováveis de energia (solar e eólica) e sistemas de armazenamento em baterias. Enquanto as casas produzirem energia a partir de fonte solar, os clientes poderão monitorar em tempo real a energia que está sendo gerada e consumida, com o auxílio de aplicativos móveis para celulares e tablets, além de poderem controlar as suas cargas remotamente. O volume de energia que não for consumido instantaneamente, é armazenado em baterias de alta tecnologia e poderá ser enviado para a rede da Enel Distribuição Ceará, gerando créditos nas contas de luz dos moradores.

A primeira fase do projeto foi a instalação dos sistemas de geração renovável nas residências e áreas comuns do loteamento. Os próximos passos serão a modernização dos medidores de energia de todo o condomínio, a instalação do sistema de armazenamento de energia centralizado com tecnologia de lítio, do sistema de telegestão de iluminação pública para mais de 300 pontos de iluminação, bem como da rede de dados e comunicação por fibra óptica, além de softwares de supervisão e controle.

“Esse projeto antecipa mudanças importantes pelas quais o mercado de energia vai passar nos próximos anos. Já é perceptível que a relação entre distribuidoras de energia e clientes está mudando. As exigências da sociedade para uso de fontes renováveis estão cada vez maiores e, por isso, as empresas do nosso grupo se colocam como vanguarda nesse processo”, destaca Carlo Zorzoli, presidente da Enel no Brasil.

O sistema de energia solar que abastece as áreas comuns do condomínio foi fornecido pela Enel Soluções. Ela é composta por 96 painéis fotovoltaicos, com potência de 24,96 kWp, capazes de gerar por ano 37,98 MWh de energia – o suficiente para abastecer 21 residências. No primeiro mês de funcionamento do sistema, foi registrada uma economia de 30% na conta de luz do condomínio. Além dos benefícios financeiros, a adoção de energia limpa nessas áreas irá evitar, a cada ano, a emissão de 4,78 T de CO2 na atmosfera – o que equivale a menos 22 carros na rua.

Pioneirismo

O Projeto de Microrrede Inteligente conta com financiamento do programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Aneel e representa um avanço em comparação com iniciativas similares. No Brasil, há poucos casos de sistemas híbridos (com geração fotovoltaica, diesel e baterias), operando de forma isolada na Região Norte do país e em algumas ilhas marítimas, mas com sistemas tecnologicamente mais simples, sem conexão com a rede elétrica.

Em âmbito internacional, as microrredes podem ser encontradas em estágio de pesquisa e desenvolvimento experimental. As primeiras aplicações pré-comerciais estão ocorrendo principalmente no Japão, Estados Unidos, Alemanha, Itália e outros países da Europa.

Fonte: Procel Info com informações da Enel Distribuição Ceará

Irrigação Pública

Projeto de lei torna obrigatório o uso de energia solar fotovoltaica em irrigação pública

Por | Sem categoria | Sem comentários

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados aprovou proposta que torna obrigatória a utilização de percentuais mínimos de energia oriunda de fontes renováveis em projetos de irrigação pública. O objetivo é estimular o desenvolvimento das tecnologias envolvidas e a conservação do meio ambiente.

A medida está prevista no Projeto de Lei 5106/16, do deputado Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO), e recebeu parecer pela aprovação do relator na comissão, deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE).

O texto estabelece prazo de cinco anos para que os projetos já instalados sejam adaptados aos patamares fixados. Por outro lado, novos projetos de irrigação pública deverão observar as exigências.

A proposta deixa para regulamentação posterior a definição dos critérios de enquadramento e dos patamares mínimos obrigatórios de uso de energia renovável. Ao mesmo tempo, prevê a realização de audiência pública com entidades representativas dos setores energético e agrícola para discutir os critérios técnicos e os índices a serem exigidos.

“A definição dos critérios e dos percentuais mínimos a serem observados deverá ser precedida de estudo de viabilidade técnica e econômica em que se demonstre que a adoção de tais limites não prejudicará o funcionamento e a expansão de novos projetos de irrigação pública”, destacou Raimundo Gomes de Matos.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado ainda pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Câmara Notícias