was successfully added to your cart.

Category Archives: Sem categoria

SUNTAG Capa Facebook 2016 1

O programa para expansão dos telhados solares será lançado em 8 de dezembro

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, Mercado de Energias, O Mundo, Sem categoria, Sistema de Energia Solar, Suntag Energy do Brasil | Sem comentários

O programa será lançado no RE-INVEST 2017, Índia, em 8 de dezembro. O evento realizará várias outras sessões, incluindo o lançamento da International Solar Alliance (ISA). O primeiro-ministro indiano Narendra Modi e o presidente francês, Emmanuel Macron, provavelmente participarão da cerimônia de fundação da ISA.

International Solar Alliance (ISA) elaborou um dos seus primeiros esquemas, chamado ISA Program 4: Scaling Rooftop Solar, que será lançado no dia 8 de dezembro na 2ª edição da Reunião e Exposição de Investidores da Global Renewable Energy (RE) INVEST 2017), realizada entre 7 a 9 de dezembro.

O objetivo do programa será trabalhar para a rápida implantação e ampliação da energia solar no telhado (tanto fora da rede como conectada à rede) em busca dos objetivos da Declaração de Paris, 2015.

O programa é definido por cinco anos, desde a data de lançamento até 2022.

O programa abrangerá todos os segmentos possíveis do telhado: C & I, residencial e outros, em 121 países candidatos da ISA, incluindo estados insulares com o apoio de países membros da ISA, países parceiros e outros países.

O rascunho foi atualizado por ocasião do levantamento de cortinas da cerimônia de fundação RE-INVEST 2017 e ISA, presidida pelo ministro da MNRE, RK Singh.

Na ocasião, Praveen Kumar, Secretário Adicional, MNRE foi informado sobre as sessões que serão realizadas no evento. Em 7 de dezembro, vários estados indianos mostrarão suas iniciativas políticas. Haverá também uma sessão especial sobre como a cesta de energia da Índia pode parecer em 2030. O segundo dia terá sessões técnicas sobre financiamento inovador, mobilidade elétrica, soluções de armazenamento de eletricidade e renováveis ​​híbridas.

O RE-INVEST 2017 também fornecerá uma plataforma para revisar os compromissos assumidos em 2015 pela indústria, bancos, fabricantes, etc. A indústria e os desenvolvedores comprometeram-se por 293 GW de energias renováveis ​​e, contra isso, a capacidade de 39,3 GW foi encomendada ou está em execução. Uma promessa financeira adicional de INR 4 trilhões (US $ 62 bilhões) pelos bancos também foi sancionada.

Globo terrestre

Pesos pesados ​​políticos
À margem do RE-INVEST 2017, a Cerimônia de fundação da ISA e da Cúpula Solar foi agendada para 8 e 9 de dezembro. O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, o presidente da França, Emmanuel Macron, e o secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, estão agendados para participar do evento. Todos os países candidatos da ISA estão convidados a participar.

O MNRE anunciou que o último dia do evento começará com o Plenário Ministerial da ISA, seguido de um roteiro para alcançar a Visão e Missão da ISA, bem como uma sessão sobre Financiamento da ISA. Posteriormente, as sessões de países com a Austrália, U.K., França, EUA e Alemanha foram planejadas. Um Conclave Corporativo também foi planejado no último dia. Este conclave contará com a presença de CEOs das empresas Fortune 500.

O embaixador da França na Índia, Alexandre Ziegler, disse que o ISA foi concebido como uma organização orientada para a ação e reúne países com um rico potencial solar para agregar demanda global de energia solar, reduzindo assim os preços, facilitando a implantação de tecnologias solares existentes em escala e promoção da I & D e capacidade colaborativa solar. “A França está empenhada em apoiar a Índia nesse esforço, e as empresas francesas estão ansiosas para investir no setor de RE indiano”, acrescentou Ziegler.

Upendra Tripathy, DG provisória, a ISA afirmou que o ISA já começou a funcionar como uma organização de fato e o Acordo ISA até agora foi assinado por 41 países, dos quais 11 depositaram instrumentos de ratificação. Mais quatro países confirmaram a ratificação. Após o depósito e aceitação do 15º instrumento de ratificação, o Acordo ISA entrará em vigor e a ISA se tornará uma organização baseada em tratados.

Fonte de Informação: PV Magazine – Site

Outubro Rosa

Outubro Rosa

Por | Sem categoria | Sem comentários

Outubro Rosa é um movimento que ocorre internacionalmente durante todo o mês de outubro. Ele tem como objetivo principal ressaltar a necessidade da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

O Outubro Rosa começou na década de 1990, nos Estados Unidos, onde os estados faziam ações isoladas referentes ao assunto. Com a posterior aprovação do Congresso Americano, o mês de outubro se tornou o mês nacional de prevenção contra o câncer de mama no país.

Para mobilizar a população americana sobre a importância da ação, as cidades começaram a se enfeitar com laços rosas. Inicialmente, a ideia foi lançada pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e os laços foram dados aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova Iorque, em 1990. Depois disso, o objeto passou a ser distribuído em locais públicos, corridas, desfiles de modas, entre outros eventos.

Embora a doença esteja presente no ano inteiro, o mês de outubro foi escolhido para representar a causa ao redor do mundo. Durante todo o período, é comum ver espaços e monumentos decorados e/ou iluminados com a cor. Em 2017, o Cristo Redentor, que fica no Rio de Janeiro, será um deles.

No Brasil, o primeiro sinal de envolvimento com o Outubro Rosa aconteceu em outubro de 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado com a cor. Em outubro de 2008, o movimento ganhou ainda mais força e várias cidades brasileiras abraçaram o movimento.

O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo. No Brasil, as taxas de mortalidade por esse tipo de câncer continuam elevadas, especialmente porque a doença ainda é diagnosticada em estágios avançados. Por isso, o autoexame das mamas e a mamografia são essenciais.

 

Suntag - Rock in Rio 2017

Falta pouco para começar a festa

Por | Sem categoria | Sem comentários

Rock in Rio é um festival de música idealizado pelo empresário brasileiro Roberto Medina pela primeira vez em 1985, sendo, desde sua criação, reconhecidamente, o maior festival musical do planeta. Foi originalmente organizado no Rio de Janeiro, de onde vem o nome. Tornou-se um evento de repercussão mundial e, em 2004, teve a sua primeira edição fora do país em Lisboa, Portugal.

Ao longo da sua história, o Rock in Rio teve 17 edições, seis no Brasil, sete em Portugal, três na Espanha e um nos Estados Unidos. Em 2008, foi realizado pela primeira vez em dois locais diferentes, Lisboa e Madrid.

O hino do festival é de autoria do compositor Nelson Wellington e do maestro Eduardo Souto Neto e foi gravado originalmente pelo grupo Roupa Nova.[1] A história do festival está contada no livro “Rock in Rio – A História do Maior Festival de Música do Mundo” (Globo Livros), lançado pelo jornalista Luiz Felipe Carneiro em 2011.

O festival é considerado o oitavo melhor do mundo pelo site especializado Festival Fling.[2] . No Brasil, a edição de 2017 começa hoje 15, e nos dias 16 17,21,22,23 e 24 de setembro, a Cidade do Rock será dentro do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca.

Primeira edição (1985)

Rock in Rio foi realizado pela primeira vez na cidade do Rio de Janeiro, Brasil entre 11 e 20 de janeiro de 1985 em área especialmente construída para receber o evento. O local, um terreno de 250 mil metros quadrados que fica próximo ao Riocentro, na Barra da Tijuca, ficou conhecido como “Cidade do Rock” e contava com o maior palco do mundo já construído até então: com 5 mil metros quadrados de área, além de dois imensos fast foods, dois shopping centers com 50 lojas, dois centros de atendimento médico e uma grande infraestrutura para atender a quase 1,5 milhão de pessoas – o equivalente a cinco Woodstocks – que frequentaram o evento.

A grande fama do evento deveu-se ao fato de que, até sua realização, as grandes estrelas da música internacional não costumavam visitar a América do Sul, pelo que o público local tinha ali a primeira oportunidade de ver de perto os ídolos do rock e do pop internacionais. Logo depois do fim do Rock in Rio , a “Cidade do Rock” foi demolida por ordem do então governador do estado do Rio de Janeiro, Leonel Brizola. A organização do festival pediu ocupação provisória do terreno, com o intuito de manter a sua posse, após o fim do evento, caracterizando invasão de propriedade pública. No entanto, Leonel Brizola decretou sua demolição para efetuar a reintegração de posse do terreno patrimônio da cidade do Rio de Janeiro.

Cronograma Rock In Rio

 

Veja a programação de hoje:

Rock District

  • 15h: Rock Street Band
  • 17h: George Israel

Rock Street

  • 15h30: Fredy Massamba
  • 17h30: Les Tambours de Brazza
  • 20h: Tyous Gnaoua

Digital Stage

  • 15h, 15h55, 18h35: MC’s Bruna e Marcão
  • 15h20: Luba
  • 15h55: Malena
  • 16h15: Pipocando
  • 16h35: Pyong
  • 16h55: Mariana Nolasco
  • 16h55: FitDance
  • 17h50: Castro Brothers
  • 18h05: Kondzilla convida MC Guimê
  • 18h20: Kondzilla convida MC Kekel
  • 18h50: MC’s + Convidados

Palco Sunset

  • 15h05: SG lewis
  • 16h30: Céu convida Boogarins
  • 18h: Fernanda Abreu convida Focus Cia. de Dança & Dream Team do Passinho
  • 20h: Salve o Samba!

Palco Mundo

  • 19h: Ivete Sangalo
  • 21h: Pet Shop Boys
  • 22h35: 5 Seconds of Summer
  • 0h25: Maroon 5

Eletrônica

  • 22h: Fatnotronic
  • 22h50: Groove Delight
  • 23h40: Gop Tun DJs (Caio T & Nascii)
  • 0h30: Selvagem
  • 1h30: Midland
  • 2h30: The Black Madonna

 

Suntag - Promoçao Ecoforce Set2017

Aproveite a promoção e reduza o custo energia com a iluminação da área externa

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, Kit Fotovoltaico, Kit Solar Fotovoltaico, Mercado de Energias, Mobiliária Público, Sem categoria, Sistema de Energia Solar, Suntag Energy do Brasil | Sem comentários

A conta de energia de seu condomínio está alta?  A iluminação externa está pesando?

A Suntag Energy conseguiu negociar com o fornecedor para baixar o preço de Poste Solar, para iluminação de avenidas, ruas, praças, condomínios, e muito mais.

Temos outros itens de iluminação solar e lâmpadas de Led.

Aproveite essa promoção, são poucas unidades disponíveis, e quando acabar o estoque o preço voltará ao valor normal.

Suntag Energy do Brasil

0800 025 2595

Ceará

Estado do Ceará vai zerar ICMS para energia renovável

Por | Sem categoria | Sem comentários

Mais um estado brasileiro aderiu ao incentivo em energias limpas.  Uma grande conquista para a economia e para o Brasil atingir a meta de redução da emissão de carbono.

Governo  do Estado do Ceará deve desonerar Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços incidente sobre a importação de máquinas e equipamentos a partir do próximo mês de setembro, de acordo com projeção da SDE.

Parabéns Ceará!

Leia a reportagem completa no Diário do Nordeste

 

 

paisagem-bandeira-do-brasil

Brasil tem todas as condições para ser referência mundial em energias renováveis, afirmam especialistas

Por | Sem categoria | Sem comentários

Em seminário no MCTIC, especialistas alertam que o uso das energias renováveis é uma oportunidade econômica. “As fontes renováveis já geram por volta de 10 milhões de empregos de qualidade no mundo. Esse é um potencial que nosso país precisa aproveitar”, ressaltam.

MCTIC

O secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTIC, Alvaro Prata, durante o seminário “O Mundo, o Brasil e as energias renováveis: eólica e solar”, realizado em Brasília.

Crédito: Ascom/ MCTIC

O Brasil é incrível no aspecto energético, e devemos caminhar para a nossa sustentabilidade. A afirmação foi feita pelo secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Alvaro Prata, durante o seminário “O Mundo, o Brasil e as energias renováveis: eólica e solar”, realizado nesta quinta-feira (27), em Brasília. A declaração do secretário foi reforçada pelos palestrantes durante o evento. De acordo com dados apresentados por eles, o Brasil é hoje a 9ª economia mundial em capacidade de geração de energia eólica.

“Ultrapassamos a Itália no ano passado. Somos o quinto país que mais investiu em energia eólica no ano passado, cerca de R$ 18 bilhões. O Brasil tem o melhor vento do mundo para produção de energia eólica, segundo especialistas do setor”, afirmou a presidente-executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Elbia Gannoum.

Ela acrescentou que a capacidade do país “é altíssima” e acima da média mundial. “O Brasil figura como o terceiro país mais atrativo em investimentos no setor de fontes renováveis, sendo a eólica a principal protagonista. Hoje, o país tem 11,6 gigawatts de capacidade instalada. Somos uma usina de Belo Monte em capacidade e em geração de energia. A diferença é que essa usina está espalhada pelo Nordeste brasileiro e demais regiões do país”, disse.

Bons ventos e muito sol

Segundo Gannoum, a média de aproveitamento da matriz eólica em países desenvolvidos fica em torno de 23%, enquanto, no Brasil, é de 38%. “Mas também chegamos à situação excepcional muito acima dessa média”, afirmou o secretário Prata, referindo-se à capacidade eólica de estados brasileiros, como o Piauí. “Lá, o aproveitamento da energia eólica é de 70%, ou seja, a perda é de apenas 30%. Na Europa, a eficiência do aproveitamento fica em torno dos 30%. É muito difícil conseguir aproveitar porcentagem tão alta de uma energia que vem para nós de graça. O vento está aí.”

O vento e o sol. De graça ou quase de graça. O presidente-executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Lopes Sauaia, apresentou dados que comprovam a redução dos valores cobrados pela comercialização da energia solar fotovoltaica em alguns países, que podem chegar a US$ 30 o megawatt/hora. “Isso é mais barato que o carvão mineral, considerado custo mais baixo do mundo. Especialistas apontam que essa fonte será, a partir de 2030, uma das mais baratas para geração de energia elétrica do planeta e vai ser tornar fonte do nosso cotidiano”, explicou.

Segundo ele, o uso das energias renováveis é uma oportunidade econômica. “As fontes renováveis já geram por volta de 10 milhões de empregos de qualidade no mundo. A energia solar sozinha é responsável por mais de 3 milhões de empregos no planeta. Esse é um potencial que nosso país precisa aproveitar. São empregos de qualidade, majoritariamente, de nível técnico e superior com salários acima da média nacional. O volume de empregos gerados pela fonte fotovoltaica é significativo: na faixa de 25 a 30 empregos diretos por megawatts instalado, o que faz dessa fonte uma locomotiva da geração de empregos”, observou.

Na Alemanha, de acordo com Sauaia, já são mais de 300 mil empregos no setor. “É uma decisão econômica do Brasil. Existe uma grande oportunidade de grande prazo e o país tem todas as condições de se tornar referência mundial”, acrescentou. No setor eólico não é diferente, a cada ano são gerados no país cerca de 40 mil postos de trabalho. No ano passado, a energia eólica cresceu 46% e colocou milhares de pessoas no setor produtivo gerando renda.”

Nesse sentido, a diretora de projeto da Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ, na sigla em inglês), Tina Ziegler, defendeu que o país valorize o setor, observando as condições naturais privilegiadas do território nacional. “O Brasil tem uma radiação muito boa para energia solar, é muito privilegiado. Diversificar a matriz energética brasileira pode gerar muitos empregos e renda para o país”.

O secretário Prata está de acordo. “Mais e mais temos que fazer uso intensivo e inteligente da energia solar e das nossas fontes renováveis. Temos essas matrizes com muita abundância. Caminhemos para a sustentabilidade”.

Fonte: MCTI.gov.br

complexo_solar_pirapora_2

BNDES aprova primeiro financiamento para geração de energia solar

Por | Sem categoria | Sem comentários

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 529,039 milhões para implantação do Complexo Solar Pirapora, em Minas Gerais, com cinco usinas fotovoltaicas e potência instalada total de 150 megawatts (MW) e potência fotovoltaica instalada de 191 megawatts picos (MWp). O empreendimento é da EDF Energies Nouvelles, filial do grupo estatal francês Électricité de France S.A. – EDF e da Canadian Solar – CSI, fabricante de módulos solares instalada no Brasil e que fornecerá equipamentos ao projeto.

O Complexo Solar Pirapora é o primeiro projeto de geração de energia solar financiado pelo BNDES. Segundo a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, em conformidade com seu papel de indutor do desenvolvimento econômico, em especial de projetos com externalidades positivas – no caso a ambiental – o Banco destina as melhores condições de crédito a projetos de energias renováveis.

O Brasil dispõe de amplo espaço territorial e intensidade de irradiação solar superior a diversos países que criam potencial expressivo para a geração solar. Como o setor está em estágio inicial de difusão tecnológica, precisa incorporar avanços em redução de custos e preços, bem como em ganhos de rendimento. Para isso, os instrumentos de promoção da demanda foram relevantes para mobilizar a inserção da fonte no país, seja por meio da geração distribuída, seja por meio da geração centralizada, que está sendo contratada em leilões públicos. Neste sentido, o suporte do Banco é fundamental para o setor.

O empreendimento será formado por cinco Usinas Fotovoltaicas (UFVs) – Pirapora V, VI, VII, IX e X – com potência instalada de 30 MW cada uma e sistema de transmissão associado. O projeto ampliará a oferta de energia elétrica por meio de uma fonte renovável, permitindo atender a demanda equivalente a 189.842 residências. A construção das instalações vai gerar 1.381 empregos diretos e indiretos.

Condições de crédito – A participação do BNDES no investimento do Complexo Solar Pirapora será de R$ 529 milhões com funding integralmente em TJLP. Considerando o montante previsto de emissão de debêntures incentivadas de infraestrutura, no valor de até R$ 220 milhões, a alavancagem total do projeto alcançará 79,6% do total dos investimentos previstos.

No financiamento aprovado pelo Banco está incluído o subcrédito, no montante de R$ 2,6 milhões, destinado a investimentos sociais no âmbito da comunidade em projetos diversos daqueles previstos no licenciamento ambiental.

Energia de Reserva – A energia do Complexo Solar de Pirapora foi comercializada no Ambiente de Contratação Regulado (ACR) durante o 7° Leilão para Contratação de Energia de Reserva realizado em 28 de agosto de 2015. Os Contratos de Energia de Reserva (CERs) celebrados com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) têm vigência de 20 anos, a partir de 1º de agosto de 2017, data prevista de entrada em operação comercial. As usinas comercializaram um total de 42 MW médios (8,4 MW médios cada), a uma tarifa média de R$ 298,58/MWh.

As obras do Complexo Solar Pirapora foram iniciadas em outubro de 2016 e tem previsão de entrada em operação em agosto 2017.

Equipamentos fabricados em São Paulo – O Complexo Solar Pirapora será localizado em uma área plana de 400 hectares próxima ao Rio São Francisco, no município de Pirapora, interior do estado de Minas Gerais.

Para a EDF Energies Nouvelles a aprovação do financiamento pelo BNDES do primeiro projeto fotovoltaico é um marco importante para o desenvolvimento da energia solar no Brasil. “Com a experiência e a expertise em energia solar de empresas como Canadian Solar e EDF Energies Nouvelles, e agora o apoio financeiro do BNDES, o projeto Pirapora vai se tornar um dos maiores projetos da América Latina. Estamos muito felizes em contribuir, através do projeto Pirapora, para o estabelecimento da indústria fotovoltaica no País e abrir caminho para outros projetos”, afirma Paulo Abranches, diretor da EDF EN do Brasil.

Sócia do empreendimento, a Canadian Solar, em parceria com a Flextronics, será a responsável pelo fornecimento dos painéis fotovoltaicos do Complexo Solar Pirapora. A Canadian Solar fornecerá ao todo 594.750 módulos, composto por 72 células cada, a partir de uma fábrica recém-inaugurada em Sorocaba (SP). As usinas compartilharão uma mesma subestação elevadora e uma linha de transmissão de 138 kV de 10,37 km, que ligará os parques até a subestação transmissora Pirapora.

Para a Canadian Solar, o financiamento do BNDES para o Projeto Pirapora demonstra o total apoio e comprometimento deste e do Governo Brasileiro no suporte às empresas com investimentos de longo prazo no desenvolvimento de projetos de infraestrutura em energia solar no Brasil.

Fonte: BNDES

semaforo

TROCA DE LÂMPADAS ECONOMIZA 90% DE ENERGIA NOS SEMÁFOROS

Por | Sem categoria | Sem comentários

Os 3.160 semáforos de todo o Distrito Federal, instalados pelo Departamento de Trânsito (Detran-DF), tiveram suas lâmpadas incandescentes substituídas por 7.160 LEDs (diodos emissores de luz). Isso resultou em uma economia de 92% no custo da energia elétrica consumida pelos equipamentos.

O consumo de energia elétrica dos 2.131 sinaleiros de veículos e dos 1.029 de pedestres custava ao Detran-DF em torno de R$ 385 mil por mês. Com o uso da nova tecnologia, o valor foi reduzido para apenas R$ 30 mil mensais.

A tecnologia LED é mais resistente, tem durabilidade aproximada de cinco anos e baixo consumo de energia. Além disso, proporciona melhor visibilidade, sem ofuscamento da visão, como acontece no caso da lâmpada incandescente.

Por ano, o gasto do órgão com energia nos semáforos era em torno de R$ 4,6 milhões. Agora, o valor estimado caiu para R$ 360 mil, o que significa uma economia anual de R$ 4,2 milhões.

A expectativa é que os LEDs diminuam também o valor da manutenção dos equipamentos, da ordem de R$ 724 mil por mês. Os gastos ocorrem principalmente na época das chuvas, quando 40% das lâmpadas comuns queimam e provocam transtornos nos cruzamentos de veículos.

Fonte: Agência Brasília