was successfully added to your cart.

All posts by Grasiela

Petrobras entra em negócios de energia solar

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, O Mundo | Sem comentários

A gigante petrolífera brasileira assinou um memorando de entendimento com a Total e sua subsidiária, a Total Eren, para investir em projetos eólicos e solares no Brasil.

Petrobras

Parece que nem uma semana se passou nos últimos meses, quando alguns grandes ou grandes petrolíferos globais não revelaram planos de investir em energia limpa.

Desta vez, a gigante do petróleo brasileira, a Petrobras anunciou que vai unir forças com a aliada estratégica, a Total, com sede na França, e sua subsidiária de energia renovável, a Total Eren, para investir em energia eólica e solar em terra no Brasil.

As três entidades assinaram um memorando de entendimento não vinculante para avaliar o desenvolvimento do negócio conjunto em energia solar e eólica no mercado brasileiro, que segue um acordo de parceria estratégica selado pela Total e Petrobras em fevereiro de 2017. Naquela época, as duas empresas concordaram em avaliar as áreas potenciais de cooperação.

“Os principais benefícios no desenvolvimento de uma parceria desse tipo são a diluição de riscos relacionados ao negócio de energias renováveis ​​no Brasil e potenciais economias de escala e sinergias”, afirmou a Petrobras em comunicado divulgado hoje.

Sob o acordo assinado em março de 2017, a Petrobras concordou em vender cerca de US $ 2 bilhões em ativos de geração de petróleo e energia térmica para a companhia de petróleo francesa.

Atualmente, a Petrobras possui e opera cerca de 6,8 GW de ativos de geração de energia. São 34 usinas termoelétricas, eólicas e hidrelétricas, sendo a contabilidade termoelétrica a maior parcela. A empresa também está desenvolvendo um sistema fotovoltaico de 1,1 MW em uma de suas instalações no estado brasileiro do Rio Grande do Norte.

Incluindo a Petrobras, a lista de empresas petrolíferas que se transformam em energia solar agora compreende, entre outras, Repsol, Shell, Total, Eni, a norueguesa Statoil, a Hungria Mol, a DOP de Omã e o PJC da Jamaica.

 

Fonte: PV Magazine

Eletropaulo

Aumento de energia novamente. E agora?

Por | Mercado de Energias | Sem comentários

Aneel aprovou reajuste de 15,08% para residências e de até 17,67% para empresa a partir de hoje.

O reajuste médio aprovado pela ANEEL foi de 15,85% nas contas de luz da Eletropaulo, que é responsável pelo fornecimento de energia elétrica para 7,1 milhões de unidades consumidoras, em 24 cidades da Região de São Paulo e Capital.

O aumento para as residências é de 15,08%.  Para as empresas de baixa tensão o aumento é de 15,14%. Já para as de alta tensão o aumento médio é 17,67% na conta de energia.

Esse reajuste terá impacto na inflação, já que a Eletropaulo cobre uma grande área de atendimento, inclusive São Paulo, a maior cidade do Brasil.

Os altos aumentos nas tarifas de energia já eram esperados por analistas do setor, face à pouca chuva que não compensará o período de seca.

A Copel do Paraná reajustou 15,99%, e atende 4,5 milhões de unidades consumidoras.

A RGE, do Rio Grande do Sul, teve alta média de 20,58% e atende 1,4 milhões de unidades consumidoras.

Apesar do Brasil ter boa capacidade hidroelétrica, essa não é suficiente para atender a demanda energética do país, e as termoelétricas são ativadas para suprir essa necessidade, acarretando um aumento ainda maior, como as tarifas Vermelhas e Amarelas.

Desde junho a Bandeira Vermelha foi ativada em seu maior nível, o Patamar 2, gerando um custo adicional de R$ 5 a cada 100 kWh consumidos.

O Brasil é um país rico em recursos naturais, e privilegiado quando comparado a Alemanha e outros países na Europa, no que se refere a radiciação solar.  Nossos dias ensolarados duram em média 8 horas, comparados as 5 horas da Alemanha, que hoje é o país que mais investe em energia solar.

Os investimentos em Energia Renovável, é muito pequeno em relação a grande capacidade disponível.   Quantos telhados, de grande a pequenos, ainda não possuem painéis solares?  Estamos a passos curtos, por falta de investimento do governo, e por poucas linhas de financiamentos disponíveis.  Mas, existem.

A Suntag Energy do Brasil, é uma empresa especializada em Implantação de Usina Solar Fotovoltaica, que com sua incansável busca por parceiros de fomento, consegue apresentar propostas em que as taxas ficam bem abaixo das praticadas no mercado, parcelados em até 10 anos, e com o primeiro pagamento somente quando a usina estiver funcionando, e a conta já estiver reduzida.  Não há o risco de acumular a conta de energia alta com a parcela do financiamento.

A economia gerada pelo uso de energia do sol pode ultrapassar os 95% na conta mensal.   Esse percentual de economia varia de acordo com o consumo e o contrato junto a concessionária. Quanto maior o consumo, maior será a economia.

O INMETRO rege que os painéis solares têm vida útil de 30 anos. Já os institutos de medidas europeus conseguiram simular 40 anos de vida, nos mesmos painéis.

Vamos simular uma conta com consumo de 57.300 kWh/m, com o valor de R$ 50 mil de uma conexão de baixa tensão. O sistema indicado para atender essa demanda seria de 407 kW.   O investimento total seria em torno de R$ 1.6 milhões, gerando uma economia mensal de 98%.  Sendo assim, a nova conta de energia passará a ser R$ 229,65 e o financiamento em 120 parcelas de R$ 27 mil.    Observe que mesmo durante o período financiamento, a economia de R$ 23 mil já é bastante relevante.  Após o termino das parcelas, o custo mensal para 57.300 kWh/m será de apenas R$ 229,65.  E todo o reajuste na tarifa de energia será aplicada apenas no mínimo contratado pela concessionária, já que toda a energia utilizada será gerada pelo sol, sem custo, renovável, inesgotável por mais de 30 anos.

Os valores acima foram baseados nas tarifas da Light no mês de maio/2018, e na inflação do período. O financiamento está sujeito à aprovação e garantia imobiliária.

Se avaliarmos a situação acima, pode-se observar a grande vantagem econômica na implantação de um sistema fotovoltaico.  Mas além dessa, podemos destacar outras vantagens como:

  • Diminuição da emissão de gases nocivos;
  • Energia com qualidade superior à fornecida pela concessionária;
  • Marketing sustentável;
  • Diferencial competitivo;
  • Diminuição da demanda de energética do país, diminuindo a necessidade de ligar as termoelétricas;
  • Redução do IPTU (Variável a cada município).

Se você tem dúvidas sobre como funciona, quais as vantagens, quer conhecer uma usina já em funcionamento, conversar com os engenheiros ou com ter acesso aos depoimentos que quem já utiliza essa energia, procure a Suntag.  Se quiser receber um estudo, uma proposta completa sem custo, é só nos ligar ou enviar a conta de energia para nosso e-mail.

21 2480 0563

0800 025 2595

www.suntag.com.br 

atendimento@suntag.com.br

Grasiela Firmino- Comunicação e Marketing

Fonte: Folha de São Paulo

 

Mercado Santos Oliveira - 200 kW - Seropédica Instalação Fotovoltaica - 55 kW - Benfica RJ - Realização Suntag

Energia sobe 33% contra inflação de 19%

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, O Mundo, Sistema de Energia Solar, Suntag Energy do Brasil | Sem comentários

energia-sobre-chamada - Globo 20Maio2018Pouca chuva e alta do dólar explicam aumento

As chuvas abaixo da média e a alta do dólar são os principais fatores que levaram a um aumento da tarifa da energia residencial de 33,4% entre fevereiro de 2015 e maio de 2018, muito acima da inflação do período, de 19,7%, segundo estudo de consultoria. A bandeira vermelha, adotada este mês e que encarece a luz, deve ir até outubro, mas pode se estender a dezembro, se o volume dos reservatórios não for regularizado.

Fonte: O Globo

Mercado Santos Oliveira - 200 kW - Seropédica

Mais uma Usina Fotovoltaica da Suntag

Por | Sem categoria | Sem comentários

A rede de  Mercados Santos Oliveira, em Seropédica no Rio de Janeiro, investiu na construção de Usina Solar Fotovoltaica de 200 kW, que f está sendo instalada na cobertura do galpão do novo centro de distribuição da rede.

O sistema fotovoltaico foi projetado com o pré-requisito de suprir a demanda anual de energia em aproximadamente 312.564 kWh/ano ou 26.047 kWh/mês. Neste projeto serão instalados 616 painéis fotovoltaicos gerando assim um sistema de 200 kW.

  • Conta Original: 25.000,00
  • Conta Pós Instalação:  2.500,00
  • Economia: 90%
  • Retorno de Investimento: 4 anos
  • Garantia: 10 anos
  • Durabilidade: Acima de 30 anos

A busca por sistema solar fotovoltaico no Brasil está aumentando. O Brasileiro está agora começando a ver as vantagens econômicas e ecológicas de gerar a própria energia de forma limpa, independente, renovável e inesgotável.  Com as primeiras usinas instaladas em pleno funcionamento, a credibilidade do sistema pode ser comprovada.  No início sempre é mais difícil, e o Brasil caminhou a passos curtos nesse sentido, mas agora, conseguimos atingir a maturidade necessária para darmos passos mais largos.

Com as novas linhas de financiamento, inclusive do BNDES para pessoa física lançada esse semana (4,03 % a.a.), muitas empresas e residências terão mais facilidade de adquirir um sistema para geração de energia elétrica através do sol.

A Suntag está no mercado desde 2016, com  equipe de engenhenheiros com mais de 6 anos de experiência com muitos kW instalados pelo Brasil, com  a garantia de um grupo consolidado no Rio de Janeiro há mais de 30 anos – a RS Group, com sede própria e expertise em  Importação.

Suntag Energy do Brasil

www.suntag.com. br  /  tel 0800 025 2595  – 21 2480 0563  /  atendimento@suntag.com.br

Como-funciona-a-energia-solar-fotovoltaica

BNDES terá empréstimos para pessoas físicas instalarem placas de energia solar

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, Inversor Solar Fotovoltaico | One Comment
BNDESO Programa Fundo Clima, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), passará a oferecer crédito para pessoas físicas investirem na instalação de sistemas de aquecimento solar e sistemas de cogeração, informou há pouco a instituição de fomento. Os recursos poderão ser contratados em operações indiretas somente por meio de bancos públicos.”Trata-se de mais uma ação do BNDES para incentivar o cidadão brasileiro a investir em sustentabilidade e economia de energia”, diz a nota divulgada há pouco pelo banco.

Segundo o BNDES, as regras do Fundo Clima alcançam 80% dos itens financiáveis nesse tipo de instalação, que inclui placas fotovoltaicas, aerogeradores, geradores a biogás e demais equipamentos necessários. Cada cliente pode tomar no máximo R$ 30 milhões a cada 12 meses.

O juro total, incluindo taxas do BNDES e dos bancos repassadores, é de 4,03% ao ano, no caso de pessoas físicas ou jurídicas com renda ou faturamento anual até R$ 90 milhões, e 4,55% ao ano, no caso de renda superior a R$ 90 milhões anuais. O financiamento ainda permite carência de três a 24 meses, com prazo máximo de 144 meses.

  • Taxa final máxima: 4,03% a.a.
  • Prazo: 12 anos, carência entre 3 e 24 meses
  • Participação do BNDES: até 80% dos itens financiáveis
  • Contratados por meio de bancos públicos

A Suntag Energy do Brasil é uma empresa especializada em Sistema Solar Fotovoltaico, localizada no Rio de Janeiro.   Ligue e solicite um orçamento sem compromisso.

Tel. 0800 025 2595    –  21 2480 0563

www.suntag.com.br

atendimento@suntag.com.br

Fonte: O Globo

Linhas de transmissão de energia em Foz do Iguaçu, no Paraná

Conta de luz terá bandeira vermelha 2 em junho, nível mais caro, diz Aneel

Por | Mercado de Energias | Sem comentários

Aumento é devido à redução de volume nos reservatórios de hidrelétricas

Brasileiros terão conta de luz mais cara em junho, face ao acionamento da bandeira vermelha nível 2, a mais elevada cobrança adicional que representará uma adição de R$ 5,00  a cada 100 kW consumidos, conforme informou nesse sexta feira a ANEEL.

ANEEL justifica o aumento, ao baixo volume nos reservatórios das hidrelétricas da região sul e previsão de baico volume de chuva, de acordo com a média histórica.

Fonte: Folha de São Paulo

Essa não é a primeira vez que anunciamos esse aumento, e com certeza não será a última.  Mas, esse aumento pode deixar de ser uma preocupação na economia de sua empresa ou residência.   Com o uso de energia limpa, no caso falando da energia solar fotovoltaica, esse aumento não impactaria a conta de energia, pois, até quase 100% da energia utilizada é gerada pelo sol, sem a utilização da energia distribuída pela concessionária. Se não utiliza a energia da distribuidora, não paga as tarifas especiais de consumo.  Se a energia na distribuidora aumenta, a energia gerada pelo sol, continua sem custo de geração.

Entre em contato com a Suntag Energy e solicite um estudo completo de solução de sistema fotovoltaico e entenda como deixar de pagar até 95% da conta de energia por mais de 30 anos.

www.suntag.com.br

atendimento@suntag.com.br

0800 025 2595

021 2480 0563

 

 

Cemig - Armazena energia foto

Minas armazena energia solar

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, Mercado de Energias, Sistema de Energia Solar, Suntag Energy do Brasil | Sem comentários

Pioneiro, empreendimento será acionado em Uberlândia, com proposta inovadora capaz de abastecer a rede de distribuição durante o dia e à noite. Investimento foi de R$ 22 milhões

Minas Gerais já é o estado que mais utiliza equipamentos para gerar energia solar e hoje dá mais um passo importante para o setor. Em Uberlândia, no Triângulo, 1.152 placas de geração fotovoltaica conectadas a baterias vão trazer inovação importante para o Brasil, com reflexos no exterior. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) inaugura a primeira minigeração conectada à rede no país com potencial para fornecer aproximadamente 480kWh/ano. A novidade principal do projeto – que conta com parceria da Alsol Energias Renováveis, do Grupo Algar, na execução –, é o armazenamento da energia captada ao longo do dia para ser devolvida à rede no período noturno coincidindo com o horário de maior demanda.

O investimento, segundo a Cemig, é de R$ 22,7 milhões, sendo R$ 17,5 milhões aplicados com recursos próprios da concessionária e outros R$ 5,2 milhões assumidos pela Alsol. Até então, todas as usinas que já operam em Minas fornecem energia para a rede durante o período em que a luz solar está presente, mas no momento em que o sistema é mais demandado essa contribuição não pode mais ser dada. Isso, porque a tecnologia opera por disponibilidade, não de acordo com a demanda.

Com a nova usina, essa lógica é invertida, já que ela mescla o envio da energia para rede e o armazenamento ao longo do dia com a presença do sol. A partir das 18h a tecnologia permite que seja injetado na rede seu potencial de 1MW por até três horas, justamente o período de maior demanda. Ao todo, a planta fotovoltaica de 300kWp (quilowatt-pico). “Um inversor capta a luz e a transforma em energia, aí a tecnologia desenvolvida passa, a partir do momento em que o sol se põe, a fazer com que o que foi armazenado passe a ser modulado e injetado na rede. Com isso, você entrega um bloco de energia para o sistema”, afirma Gustavo Malagoli, presidente da Alsol e responsável pelo projeto. 

Ainda de acordo com Malagoli, a tecnologia nacional traz ainda características ambientais importantes, já que usa três tipos de baterias que seriam descartadas no meio ambiente, mas que no sistema ainda podem ser reutilizadas. “Essas baterias precisam ser descartadas, mas ainda têm vida residual que será reaproveitada. Com esse uso, é possível prolongar a vida dessas baterias. Assim, também estamos dando mais um aspecto de cuidado com o meio ambiente”, ressalta. Também está planejado o desenvolvimento de um hardware que possibilitará que o tradicional inversor fotovoltaico seja acoplado às baterias sem a necessidade de troca por um modelo híbrido, que tem alto custo.

Frederico Ribas Soares, gerente de gestão, de tecnologia e inovação da Cemig, destaca que a usina provoca impacto bastante positivo na rede. Além da qualidade da energia a ser produzida e disponibilizada para os consumidores, o aspecto ambiental é bastante relevante e ainda traz uma forma nova de comercializar. “A usina traz um modelo novo de negócio, e exploração de serviço novo que a companhia ainda não faz. Tanto a Alsol quanto a Cemig terão a possibilidade de oferecer um serviço novo que combina armazenamento com qualidade e energia limpa”, afirmou.

A entrega é parte de um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) proposto pela Cemig e aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em abril do ano passado. De acordo com Carlos Renato França Maciel, superintendente de tecnologia e eficiência energética da Cemig, o projeto atende ao acordo que prevê a destinação pela companhia de percentual do seu faturamento à pesquisa. “Essa tecnologia é fruto desse investimento e traz resultado bastante importante e muito nobre para o setor”, conta.

Fonte: Jornal Estado de Minas

 

Sao Paulo

Estado de SP isenta ICMS de componentes de geração de energia solar fotovoltaica para prédios públicos

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, Kit Fotovoltaico, Kit Solar Fotovoltaico, Mercado de Energias, Mobiliária Público, Sistema de Energia Solar, Suntag Energy do Brasil | Sem comentários

O governador Geraldo Alckmin isentou de ICMS os equipamentos e componentes para geração de energia elétrica solar fotovoltaica destinada ao atendimento do consumo de prédios próprios públicos estaduais. A norma atende a uma demanda do setor fotovoltaico ao validar o convênio ICMS 114/2017 celebrado pelo Conselho Nacional de Política Fazendária, CONFAZ.

 “Além de desonerar partes e peças utilizadas na geração de energia limpa no Estado de São Paulo, o Governo incentiva tanto o setor econômico na produção dos itens necessários, quanto os órgãos públicos a fazerem uso de fontes sustentáveis com economia de recursos. Um ganha-ganha para toda a sociedade paulista.”, afirmou o secretário da Fazenda do Estado Helcio Tokeshi.

O decreto 63.095/2017, que introduz uma alteração no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias, foi publicado na edição de 23 de dezembro de 2017 do Diário Oficial do Estado de São Paulo.

O benefício impacta as partes, peças, estruturas de suporte, transformador, cabos elétricos, disjuntor, inversor CC/CA ou conversor, string box ou quadro de comando e seguidor solar tipo “tracker”, produtos utilizados na  montagem das usinas.

“São Paulo é o segundo maior Estado do Brasil em número de unidades geradoras de energia fotovoltaica com quatro mil instalações e um potencial de 24 MW. Esse decreto assinado pelo Governador Alckmin dá garantia para o investidor e gera economia para os prédios públicos, uma combinação perfeita”, disse o secretário de Energia e Mineração João Carlos Meirelles.

A Secretaria de Energia e Mineração tem trabalhado para ampliar a produção das energias renováveis na matriz energética estadual onde a energia fotovoltaica tem enorme potencial para se desenvolver.

Com esse decreto todos os prédios próprios públicos estaduais tais como escolas, presídios e outros poderão se beneficiar da medida. Ainda no primeiro trimestre deste ano a Unesp – Universidade Estadual Paulista, apresentará um edital público para fornecimento de energia solar para seus prédios.

Energia Solar no Estado

O Governo do Estado de São Paulo quer popularizar a energia solar fotovoltaica e pra isso vem fomentando a instalação de novos sistemas pela indústria, comércio e principalmente pela população em suas residências.

Com base nas contribuições apresentadas pela Subsecretaria de Energias Renováveis da Secretaria Estadual de Energia e Mineração, Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade – Investe São Paulo e pela Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, a Secretaria do Meio Ambiente publicou no Diário Oficial em, 5 de agosto de 2017, a Resolução 74 que dispõe sobre o licenciamento ambiental de empreendimentos de geração de energia elétrica por fonte solar fotovoltaica a isenção de licenças para instalações menores que 5 MW.

O levantamento do potencial solar paulista mostra que São Paulo pode gerar até 12 TWh/ano. O mapeamento dos níveis e faixas de irradiação comprovam a viabilidade técnica e econômica para a geração de energia fotovoltaica entre as faixas de radiação anual de 5,61 e 5,70 kWh/m²/dia, considerando a melhor faixa de aproveitamento, correspondente a 0,3% do território paulista.

O site da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), apresenta em janeiro de 2018, o ranking brasileiro que em primeiro lugar está Minas Gerais com 4.414 unidades consumidoras com geração distribuída, seguida por São Paulo com 4.000, Rio Grande do Sul 2.478, Rio de Janeiro 1.609 e Santa Catarina 1.458.

Fonte: Secretaria da Fazenda de São Paulo

raia_drogasil2

Setor de Farmácias investe em energia solar para diminuir custo de energia

Por | Eficiência Energética, Energia Solar Fotovoltaica, Mercado de Energias, O Mundo, Sistema de Energia Solar, Suntag Energy do Brasil | Sem comentários

O consumo mensal de eletricidade nessas farmácias, que ficam nas cidades de Belo Horizonte e Uberlândia, caiu pela metade, segundo a empresa

raia

Com sistemas de geração de energia solar instalados em 11 lojas em Minas Gerais, a Raia Drogasil economizou 69.000 reais nos últimos cinco meses.

O consumo mensal de eletricidade nessas farmácias, que ficam nas cidades de Belo Horizonte e Uberlândia, caiu pela metade, segundo a empresa.

Pelo projeto, a luz do sol é transformada em elétrica por usinas fotovoltaicas fornecidas pela Axis Renováveis.

As duas empresas assinaram um contrato de 12 anos. Até o fim desse período, a Raia Drogasil deve poupar cerca de 850.000 reais com gastos com energia nas unidades em que os sistemas já estão instalados.

O parque tem capacidade para abastecer o equivalente a 158 residências por mês.

“Ele terá capacidade mensal de produção de 27.836 kWh de energia, evitando a emissão de 47 toneladas de CO2 na atmosfera por ano”, diz em nota Rodrigo Marcolino, sócio da Axis.

O plano é estender a iniciativa para outras lojas da Raia Drogasil.

“Nosso objetivo vai além da redução de custos, queremos também diminuir tudo aquilo que impacta o meio ambiente”, afirma Milton Alvim, diretor de engenharia e manutenção da empresa.

Paralelo a esse programa, a companhia instalou aparelhos que otimizam o fluxo de energia elétrica em 700 de suas unidades. Com eles, conseguiu uma redução de 14% no consumo de energia nos últimos oito meses.

Presente em 18 estados, a rede tem hoje cerca de 1.330 pontos de venda no país.

Nos últimos 12 meses findos em junho, ela teve uma receita bruta de 10,6 bilhões de reais. A companhia é líder no setor, tanto em faturamento, quanto em número de unidades.

Fonte: Revista Exame