was successfully added to your cart.

A melhor notícia para o Brasil

MCMV PV

Uma boa notícia para o Brasil. O Programa Minha Casa Minha Vida vai entregar as residências com Sistema Solar Fotovoltaico instalado em 2018.  Os novos proprietários não terão despesas com energia elétrica, aumentando sua qualidade de vida e conforto.  Além disso, a implantação desse programa viabiliza mais empregos, renda e mais uso de energia limpa no Brasil.

Essa é para comemorar junto com a Suntag Energy do Brasil.

Fonte: Ministério das Cidades – Site

Leia a reportagem na Íntegra.

Ministro das Cidades discute proposta de energia solar no Programa Minha Casa, Minha Vida, durante evento em SP

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, falou sobre o resultado de soluções fotovoltaicas no Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV), nesta quinta-feira (10), em evento na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista. Foram mostrados os estudos para produção de energia solar em unidades habitacionais do programa.

O estudo teve como base a assinatura de um protocolo de intenções entre a Fiesp, o Ministério das Cidades e o Ministério do Trabalho, em dezembro de 2016, durante o 12º Congresso Brasileiro da Construção (ConstruBussines).

Para o ministro Bruno Araújo, o uso do MCMV traz credibilidade aos resultados apresentados. “A proposta mostrada hoje possibilita avançarmos no Brasil na renovação de energia alternativa, utilizando um programa que tem diversas finalidades: numa ponta, a entrega de residências a quem não possui condições de obter se não for por meio de subsídio governamental, por outra ponta, gerar emprego e renda.”

Responsável pela apresentação, o vice-presidente do Conselho Superior da Construção (Consic), Manuel Rossitto, detalhou como o sistema de produção de energia solar seria arcado pelos beneficiários da Faixa 1 do programa. “O proprietário da residência adquire o sistema fotovoltaico junto com a unidade habitacional, com o valor embutido nas prestações que serão pagas pelo imóvel, possuindo o incentivo natural para manutenção e conservação do sistema”, explicou.

“O estudo levou em consideração que o sistema vai gerar economia para as famílias beneficiadas, aumentando o poder aquisitivo e com a maior classificação possível de eficiência energética”, destacou.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaff, garantiu a participação e incentivo do órgão para que o projeto se torne realidade. “Vamos ajeitar para que isso seja colocado em prática o mais rápido possível. Vamos nos empenhar ao máximo para que tudo dê certo. Agradeço ao ministro Bruno Araújo pela parceria e apoio”, disse.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério das Cidades

Deixe um comentário